fundo parallax

Sustentabilidade

Criação

A criação é uma etapa fundamental para o acompanhamento das práticas de Bem-estar Animal. Cada cadeia de proteína é atendida de acordo com as melhores práticas globais, em linha com suas peculiaridades.

É importante ressaltar que, práticas como clonagem e engenharia genética não são adotadas na cadeia de fornecimento da JBS. Além disso, a Companhia não utiliza nenhum tipo de hormônio de crescimento no Brasil.

Bovinos



A JBS conta com aproximadamente 90 mil fornecedores de gado no Brasil. Dessa forma, a Companhia tem seu fornecimento integralmente proveniente de fazendas terceiras.

Para garantir que as práticas corretas sejam adotadas nas fazendas que fornecem gado para a JBS, a empresa realiza capacitações, seguindo a Cartilha de Boas Prática de Manejo do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal (Grupo Etco), fruto do trabalho da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FCAV-Unesp) direcionado a Bem-estar Animal.


Os treinamentos, iniciados em 2016, têm como objetivo reforçar a orientação aos colaboradores sobre a importância do manejo correto dos animais, evitando sofrimento e contusões. O projeto terá continuidade nos próximos anos e abrangerá mais fazendas.

Do gado adquirido pela JBS, no Brasil, aproximadamente 25% passa de 90 a 120 dias da sua vida em confinamento, sendo os demais meses, até completar 2,5 a 3 anos, vividos em pasto. O restante dos animais, ou seja, 75% do total adquirido, passa toda a sua vida criado a pasto.


A Seara conta com mais de 9 mil produtores integrados de frango, peru e suíno no Brasil, divididos entre granjas próprias e de produtores integrados.

Nas granjas próprias da JBS, assim como nas integradas, os animais são alimentados exclusivamente com rações produzidas pela própria empresa. A mistura, que inclui milho, soja e outros grãos, não utiliza nenhum tipo de hormônio de crescimento, conforme determina a legislação brasileira. A Companhia também fornece todos os insumos ao produtor, como pintinhos, vitaminas, cloro, desinfetantes e, quando necessário e prescrito pelo médico veterinário da JBS, medicamentos.


Os produtores recebem assistência e treinamentos constantes, além de serem periodicamente visitados pela equipe técnica da Companhia, que conta com mais de 300 profissionais de campo, para verificar se a prática adotada está de acordo com os princípios exigidos pela JBS, assim como para orientar os produtores sobre as melhores práticas.

Por meio das Orientações Técnicas (OTs), a Seara define os critérios a serem adotados pelos produtores. Além das OTs e check-lists, outras fichas de controles são utilizadas, de forma que os indicadores de Bem-estar Animal possam ser acompanhados e controlados sistematicamente.

Indicadores como densidade de alojamento, percentual de calosidades na pata das aves, percentual de viabilidade inicial e final, níveis nutricionais, disponibilidade de ração apropriada, controle de qualidade e disponibilidade da água, atendimento às cinco liberdades fundamentais e controle de ambiente (temperatura, umidade, ventilação, iluminação e qualidade da “cama”), estão na lista de fatores controlados pelos produtores, de forma a garantir o bem-estar dos animais durante a produção.

Aves



Na criação de aves, a densidade em granja respeita um limite máximo, conforme as melhores práticas do mercado, de forma que todas os animais possuam espaço para se movimentar livremente e ter acesso ao substrato (também conhecido como cama do aviário), o que permite que manifestem o seu comportamento natural. Um período de escuro, de no mínimo quatro horas sem interrupções, também é adotado em todas as granjas, para propiciar descanso apropriado.


O processo de debicagem não é realizado em granjas de corte. Nas granjas de produção, se utiliza de procedimento a laser apenas em machos, evitando que a fêmea seja machucada durante a cópula. Essa prática é a mais moderna exercida no mercado e está em linha com as melhores práticas globais de Bem-estar Animal.

Em relação ao uso de antibióticos, a JBS tem diminuído gradativamente a quantidade empregada em sua produção, não sendo utilizado de forma preventiva, e a Companhia tem o compromisso de continuar avançando na redução do medicamento nos próximos anos.

A plataforma Hoje tem Frango, criada pela Seara, contém diversas informações em relação à produção de frango, que pode contribuir no entendimento de como o Bem-estar Animal e as práticas de produção da empresa são realizadas.



Suínos



Na criação de suínos, a densidade em granja também respeita um limite máximo, conforme as melhores práticas do mercado, de forma que os animais tenham espaço para se movimentar livremente e expressar seu comportamento natural.

O corte de dentes não é uma prática empregada em granjas produtoras de leitões da Seara. Adaptações no manejo permitiram o abandono dessa prática. O corte de cauda ainda é utilizado com o objetivo de evitar problemas nos suínos adultos, uma vez que a manutenção do rabo intacto pode facilitar o canibalismo entre os animais. Esse procedimento é reconhecido internacionalmente como a melhor prática para garantir a produção dentro dos padrões modernos de Bem-estar Animal.


Em relação a castração cirúrgica, a prática também não está no fluxo dos processos de produção de leitões da JBS. Atualmente, a Companhia opta pela castração imunológica, promovendo maior conforto e menor estresse aos animais.