Desenvolvido pela JBS Biodiesel em parceria com a JBS Ambiental, o programa Óleo Amigo recuperou em 2019 [...]

fundo parallax

Comunicação

ENTREVISTA COM WILIAM SIQUEIRA, DO RH JBS

 

Um apaixonado pela área de Recursos Humanos, Wiliam tem mais de 20 anos de atuação no mercado. Curiosamente, sua formação foi em Engenharia e essa graduação deu muita bagagem para exercer sua atual atribuição com excelência. Ele começou a carreira atuando diretamente nas fábricas (sempre em indústria de alimentos) e isso o deixou mais próximo e mudou o seu olhar com relação às necessidades do Time nas plantas.

Na JBS, são quase 10 anos de atuação. Wiliam veio para cá trabalhar na área de planejamento e gestão de custos e, logo que ingressou na Companhia, teve a oportunidade inesquecível de conhecer praticamente todas as plantas da JBS, inclusive no exterior. “Esse momento foi muito enriquecedor, aprendi muita coisa em um curto espaço de tempo e entendi muito mais sobre quem atua na ponta”, disse.

Após alguns anos de atuação na empresa, no ano de 2013, Wiliam foi convidado para trabalhar na área de Recursos Humanos e se apaixonou. “O que me fascina nessa área é a forma que trabalhamos sempre em conjunto, atuamos de forma integrada:  Corporativo e RHs dos Negócios, fazendo esse elo com todas as nossas Unidades no Brasil”, ressaltou.

Wiliam é apaixonado pelo RH e também pela JBS. Ele veste a camisa da Companhia e o Valor com que ele mais se identifica é Atitude de Dono. “Sinto pela JBS uma gratidão enorme pelas oportunidades e me identifico muito com os Valores da Companhia. É assim quando gostamos daquilo que fazemos: damos sempre o nosso melhor, para que tudo saia sempre acima do esperado”, comentou.

Wiliam e sua equipe deram os primeiros passos do Programa Fazer o Bem Faz Bem. “A JBS já tem ações de responsabilidade social há muitos anos, só que eram ações espalhadas pelo Brasil e feitas de forma pontual, principalmente com foco nos colaboradores. No início de 2019, começamos esse trabalho de tentar, de alguma forma, dar uma governança sobre o tema e envelopar tudo o que as Unidades estavam fazendo. Nosso desafio foi fazer com que tudo que já era feito tivesse um direcionamento único. O grande marco do projeto foi a pesquisa e diagnóstico daquilo que já existia, muita coisa era feita porta para dentro (apenas colaboradores beneficiados) e queríamos ajudar da porta para fora também, ajudar a população. Identificamos mais de 100 projetos de responsabilidade social nas plantas. Esse diagnóstico foi muito importante e fizemos ainda uma pesquisa interna para ouvir dos colaboradores o que o município mais precisava. Esse movimento trouxe duas coisas muito importantes: pela primeira vez, a gente tinha um book de projetos e iniciativas e, ao mesmo tempo, a gente tinha um diagnóstico dos municípios e suas necessidades. Foi a partir deste diagnóstico que começamos a construir o Programa que todo o Brasil conhece hoje”, explicou o executivo. “Gosto de destacar que o Fazer o Bem Faz Bem é um Programa de todas as Unidades da JBS e os protagonistas desse projeto são nossos 130 mil colaboradores”, completou.

Para Wiliam, o sentimento é de orgulho e gratidão. “Houve muita troca importante, principalmente em nossas reuniões mensais com um comitê formado pelo corporativo e pelos Negócios. Ninguém faz nada sozinho, esse trabalho é de todos os colaboradores da JBS. Contamos com o total envolvimento de todas as Unidades. Quando eu olho para trás e vejo tudo o que gente construiu e essa visibilidade que o Programa atingiu, eu só posso mesmo ser grato por esse crescimento profissional e pessoal, por ser uma causa tão nobre.  Fazer com que essa ajuda chegue a diversas cidades do Brasil faz todo esforço valer a pena. Vir para a JBS ganhou um novo significado, porque estamos contribuindo para salvar vidas. Eu sou apenas uma peça nesse quebra-cabeça. Conto com um Time muito forte e totalmente engajado, parceiros dentro de cada uma das Unidades de Negócios que estão na linha de frente e uma empresa que me dá plenas condições de avançar sempre”, encerrou.