fundo parallax

Comunicação

BBFAW: JBS se mantém entre as melhores do mundo em Bem-estar Animal

 

 

 

Com operações multiproteínas em cinco continentes, a Companhia possui
notas acima da média do setor desde o início de sua participação no ranking

 

A JBS foi considerada uma das melhores empresas do mundo no que se refere à prática de Bem-Estar Animal, mantendo-se no Tier 3 da 9ª edição do The Business Benchmark on Farm Animal Welfare (BBFAW), relatório anual de alcance global sobre o assunto. A Companhia, presente em 13 países com operações multiproteínas, segue evoluindo em seus compromissos e aprimorando suas políticas e ações, o que pode ser notado em um dos relatórios da instituição, que mostra que a JBS possui notas acima da média do setor em todos os critérios avaliados.

O cuidado com a qualidade e segurança dos alimentos é um processo contínuo aplicado pela JBS em todas as etapas da cadeia de produção, que tem origem no cuidado com os animais. Em 2020, a Companhia investiu R$ 162,8 milhões em avanços de Bem-Estar Animal no Brasil e treinou mais de 27 mil pessoas sobre o tema, considerando colaboradores, produtores e fornecedores.

Para gerenciar o assunto, a JBS conta com equipes especializadas em cada tipo de proteína com que trabalha (aves, suínos e bovinos) e adota técnicas que são constantemente aprimoradas de acordo com as melhores práticas de mercado nacional e internacional com o acompanhamento do Comitê de Bem-Estar Animal.

A operação de carne bovina da JBS, por exemplo, é até o momento a única do setor no Brasil com câmeras de monitoramento para avaliação dos indicadores de bem-estar animal em 100% de suas unidades.

Entre as medidas mais recentes adotadas pela Companhia no Brasil são destaque, ainda, a aquisição de uma nova frota de carretas projetadas para assegurar maior conforto aos animais durante o transporte de bovinos das fazendas às unidades de processamento da Friboi, assim como investimento no transporte de aves e suínos, além de melhorias em equipamentos e instalações industriais.

Outro ponto que vale ressaltar é a evolução da Seara em seu compromisso com o uso de gaiolas de gestação coletiva para matrizes suínas, que proporcionam mais conforto quando comparado às baias individuais. O objetivo da empresa é atingir 100% da produção neste sistema até 2025.

Além disso, a Seara fez sólidos investimentos em modernização e climatização em granjas de aves e suínos, ampliação ou substituição de infraestrutura, totalizando a construção de uma área superior a 1 milhão de metros quadrados para a criação dos animais.

Entre os novos projetos está a Granja 4.0, que tem entre seus benefícios o monitoramento dos animais dentro das granjas, com sensores que fornecem informações em tempo real de indicadores, como temperatura e umidade do ambiente, qualidade do ar, peso e até o comportamento dos animais. O monitoramento remoto viabilizado pela tecnologia impacta também a redução da movimentação de pessoas nas granjas, fortalecendo ações de biossegurança.