fundo parallax

Comunicação Não-Violenta: como aplicar na sua vida

Redação Conteúdo -

Redação Conteúdo 23 de junho de 2021

Por Luciane Martins
Diretora de RH de Novos Negócios

 

No trabalho – e na vida – comunicação é tudo! Mas saber a melhor forma de se expressar nem sempre é fácil. Sentir dificuldades nesse âmbito é comum, o que, muitas vezes, pode gerar conflitos e mensagens atravessadas.

Expandir seus conhecimentos sobre a comunicação humana e aprender técnicas interessantes para potencializar sua capacidade de expressão fazem parte da Comunicação Não-Violenta (CNV). Quer saber mais?

O que é Comunicação Não-Violenta?

Criada na década de 1960 pelo psicólogo americano Marshall Bertram Rosenberg que em sua experiência profissional notou que o sofrimento humano, muitas vezes, estava atrelado a problemas de comunicação. Assim, a CNV se baseia em relações de parceria e cooperação com comunicação eficaz e empática. Na prática, essa técnica consiste em uma abordagem mais autêntica que gera conexões mais verdadeiras.

Componentes da Comunicação Não-Violenta

Você sente que a CNV poderia ajudar as suas relações – pessoais ou profissionais? Rosenberg diz que é preciso que os praticantes da técnica usem 4 componentes para deixar a comunicação mais clara:

Observação

Antes de tudo, observe a situação em que você está inserido. Questione aquilo que você está recebendo, mas não faça juízo de valor, compreendendo aquilo que você gosta ou não no que o outro está fazendo.

Sentimento

Depois de observar e questionar, é preciso entender quais sentimentos isso lhe gera: raiva, felicidade, medo, mágoa, etc. Rosenberg afirma que é importante permitir a vulnerabilidade em momentos de conflitos, além de saber diferenciar aquilo que se sente, daquilo que se pensa ou interpreta.

Necessidade

Agora com o sentimento em foco, é preciso reconhecer quais necessidades estão ligadas a ele. Quando colocamos essas necessidades para fora, as chances de que elas sejam atendidas, é maior.

Pedido

Finalize o conflito com um pedido, uma solicitação específica ligada a uma ação concreta. Isso deixa claro para a outra pessoa aquilo que você deseja. É importante fazer isto com uma linguagem positiva e em forma de afirmação.

 Aprimore as suas Soft Skills

Entre as soft skills avaliadas em processos seletivos, ter empatia, boa comunicação, resiliência e criatividade estão entre as mais procuradas, por isso, dominar a CNV pode te ajudar a contar muitos pontos a seu favor.

Nas relações de trabalho, não é diferente. Promover uma comunicação clara, honesta e empática entre os colaboradores é imprescindível para encontrar soluções positivas nos conflitos da rotina, além de manter um ambiente menos estressante e mais equilibrado.

Na prática

Para ficar mais fácil de aplicar a CNV, pense na seguinte situação: você está aguardando um colega para uma reunião, mas ele está atrasado. Quando ele chega, você diz:

“Você chegou atrasado de novo, isso é muito incômodo!”

Ao usar essa frase, você deixa implícito um tom de julgamento e não está explicando concretamente a situação, apenas culpando o seu colega.

Evite este tipo de comunicação e substitua por algo assim:

“Quando você chega 10 minutos atrasado para a reunião que marcamos juntos, me sinto incomodado, pois isso atrapalha o restante do meu cronograma. Nos nossos próximos encontros, você poderia chegar na hora ou me avisar sobre o atraso?”

Nessa frase você inclui todos os passados da CNV e deixa mais claro os seus sentimentos, sem julgar e com fatos claros.

Que tal tentar?

faça parte