JBS PARTICIPA DE WORKSHOP INTERNACIONAL SOBRE COMBATE À ESCRAVIDÃO MODERNA

 

O evento contou com a presença de pesquisadores da Universidade de Nottingham

e representante da Embaixada Britânica no Brasil

 

Discutir os desafios enfrentados na cadeia produtiva do setor de carne bovina no Brasil para atender às novas exigências do mercado, como o cumprimento da lei britânica sobre escravidão moderna. Esse foi um dos principais objetivos do workshopThe impacts of anti-slavery legislation on the design of the UK-Brazil beef and timber supply chains”, realizado no Centro de Estudos e Pesquisas BRICS, no Rio de Janeiro, no dia 22 de novembro, que contou com a participação do diretor de Sustentabilidade da JBS, Márcio Nappo.

 

Ao longo da programação, Nappo fez parte das mesas de discussão sobre o tema central do evento. Além de trocar experiências com pesquisadores brasileiros e britânicos e com representantes de organizações da sociedade civil engajadas em ações relacionadas a Direitos Humanos, o executivo também pôde apresentar as estratégias da Companhia para garantir uma cadeia de produção responsável.

 

“Foi com grande satisfação que participei do evento, uma vez que o combate ao trabalho forçado é um tema de extrema relevância para a JBS. Monitoramos todos os nossos fornecedores, de acordo com critérios de sustentabilidade, para coibir práticas irregulares na nossa cadeia de produção. O debate com especialistas nos ajuda a aprimorar cada vez mais nossos processos, visando à melhoria dos nossos negócios e ao respeito dos Direitos Humanos em escala global”, explica o executivo.

 

O workshop também contou com a participação de pesquisadores da Universidade de Nottingham e da PUC-Rio, além de representantes da Embaixada Britânica no Brasil e das ONGs Business and Human Rights Resource Centre (BHRRC), Corporate Responsibility Coalition (Core) e Repórter Brasil.

 

Abaixo, confira comentários de alguns dos participantes do evento:

 

Alexander Trautrims – Universidade de Nottingham 

“Em pesquisas em diferentes setores e diferentes países, notamos que, para vermos uma verdadeira mudança na indústria, é crucial que grandes empresas assumam seus papéis de liderança e cumpram suas responsabilidades no combate à escravidão moderna. Pelo que vimos na indústria da carne no Brasil, tanto na reunião que tivemos com a JBS quanto no evento de hoje, percebemos que a JBS tem cumprido esse papel e vem desenvolvendo ações relevantes com o objetivo de melhorar o atual panorama brasileiro, estimulando todos os atores da cadeia a seguirem o mesmo caminho. Esse movimento é fundamental para que consigamos alcançar mudanças significativas e esperamos que esse cenário evolua no futuro”.

 

 

Beatriz Sanutti – Embaixada Britânica no Brasil 

“Combater a chamada escravidão moderna é uma prioridade-chave para o atual governo britânico e estamos engajados na luta contra a incidência dessas situações nas cadeias produtivas dos setores público e privado. Temos trabalhado continuamente em como auxiliar as empresas, sociedade e a esfera jurídica em como prevenir, combater e proceder diante desses casos, além de prover suporte a possíveis vítimas. Sabemos que alguns setores apresentam maiores desafios e, dessa forma, foi muito proveitoso participar do evento realizado pelo Centro de Estudos e Pesquisas BRICS e trocar diferentes olhares e percepções com colegas e parceiros sobre como levar esse compromisso adiante e ajudar a tornar a agenda mais efetiva nas cadeias das indústrias da carne e da madeira. A Embaixada Britânica no Brasil está bastante interessada em dar continuidade a essa agenda de discussões e iniciativas voltadas ao combate da escravidão moderna no país”.

 

 

Silvia Pinheiro – PUC-Rio e Centro de Estudos e Pesquisas BRICS

“A PUC-Rio e as universidades parceiras acreditam que a pesquisa acadêmica deva ser mais aplicada aos reais problemas da sociedade. Por isso, buscamos a participação de todos os atores envolvidos para que, a partir dos estudos desenvolvidos, consigamos chegar a um contexto fidedigno à realidade enfrentada pelos principais players do mercado. Por isso, a participação da JBS no evento contribuiu muito para o nosso aprendizado sobre a indústria da carne e nos ajudará na continuidade da nossa agenda sobre o tema”.

 

 

Júlia Neiva – Business and Human Rights Resource Centre (BHRRC)

“Foi um grande prazer participar do evento e perceber que grandes players estejam abertos a discutir o seu papel no cenário global em questões relacionadas à prevenção e combate às violações de direitos humanos. É importante que cada ator entenda as suas responsabilidades nas respectivas cadeias de produção e crie instrumentos internos para efetivamente prevenir e tratar de práticas que infrinjam direitos”.