fundo parallax

Comunicação

JBS avança em sistema de Due Diligence e reforça ações de Compliance

Por meio da ferramenta, foram feitas, no ano passado, cerca de 10 mil avaliações reputacionais

O sistema de due diligence da JBS, que fornece uma avaliação reputacional de terceiros interessados em fazer negócios com a Companhia, atingiu quase 10 mil análises em 2019. A avaliação considera os dados das empresas interessadas e os cruzam com bancos de dados de órgãos públicos, listas internas, palavras-chave em ferramentas de pesquisa, listas de embargo internacionais, entre outros.

Os terceiros avaliados que apresentam qualquer não conformidade são bloqueados automaticamente e passam por um segundo procedimento de checagem pela área de Compliance. Com o aprimoramento do sistema, a empresa espera aumentar o número de avaliações por mês, saneando os cadastros de terceiros já existentes na Companhia.

Também em 2019, a JBS coordenou 45 mil horas de treinamento, sendo 37 mil destinadas ao Código de Conduta e Ética, que chegou a mais de 115 mil colaboradores da empresa no Brasil, e oito mil ao tema Anticorrupção, que alcançou mais de 16 mil colaboradores. As ações reforçam a evolução e expansão das iniciativas de conformidade da Companhia.

Para 2020, a JBS continuará investindo na capacitação de seus colaboradores, por entender que isso configura um importante pilar do programa de Compliance, com treinamentos sobre temas específicos, como Conflito de Interesses e revisão do conteúdo Anticorrupção.

“Estamos cumprindo nosso papel como uma das líderes globais em alimentos, de conscientizar colaboradores e parceiros e influenciar positivamente a cadeia de valor. O engajamento e alcance conquistados comprovam a eficácia das atividades que vêm sendo adotadas no dia a dia de nossas operações”, afirma o diretor global de Compliance, Marcelo Proença.

 

Palestra no Japão

Proença esteve no Japão em dezembro de 2019 e, na ocasião, apresentou na universidade de Keio, em Tóquio, as práticas de Compliance adotadas pela JBS. Na plateia, além dos alunos da instituição, compareceram colaboradores da Seara baseados no escritório da empresa na capital japonesa.