JBS LANÇA PRIMEIRO PROTOCOLO DE TIPIFICAÇÃO MULTIRAÇAS DO MERCADO

Por meio da marca 1953, pecuaristas poderão otimizar sua produção com o cruzamento de diversas raças europeias de corte e

zebuínas e ter acesso a bônus que pode chegar até R$ 13 por arroba

 

São Paulo, 19 de março de 2018 – Lançada pela JBS no início deste ano, a marca 1953 – que comemora os 65 anos de fundação da empresa – ampliou a oferta de carne bovina premium ao consumidor ao incluir as grandes redes de varejo entre os canais de distribuição dos produtos desse segmento, antes restrito ao food service e boutiques. A decisão foi tomada após a Companhia constatar crescimento sustentado da demanda por esse tipo de produto, que no último ano cresceu cerca de 70% em volume relação a 2016. A expectativa da JBS é dobrar esse número na comparação com 2017.

 

Como parte desta estratégia, a empresa conduziu testes de campo e de laboratório, com apoio da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), para chegar ao novo protocolo 1953. Os resultados demonstraram que a carne de alta qualidade não está restrita a uma ou outra raça bovina, tampouco a um único sistema de produção. Os produtores que exploram diferentes raças de corte de origem europeia, sejam elas britânicas, continentais ou adaptadas, em cruzamento com raças zebuínas como o Nelore, podem se integrar ao mercado de alta qualidade, melhorando sua remuneração e aumentando a oferta de carne premium.

 

“O nosso objetivo é revolucionar os padrões de consumo dos brasileiros com cortes oriundos do cruzamento de diferentes raças europeias e dar oportunidade aos pecuaristas de se tornarem fornecedores de uma marca premium”, conta Eduardo Pedroso, diretor executivo de Originação da JBS Carnes. “Os produtores agora poderão aumentar muito a produtividade sem perder o acesso aos bônus pagos pelos programas de carne de qualidade”, completa.

 

Com o novo protocolo será possível combinar várias raças e ajustar com precisão o tipo dos animais criados ao sistema de manejo e nutrição. Os prêmios pagos aos criadores que aderirem ao protocolo 1953, entregando novilhas e novilhos castrados, jovens e bem terminados, podem chegar até R$ 13 por arroba. “Queremos incentivá-los a serem fornecedores 1953, privilegiando, inclusive, os acordos formalizados mediante contratos a termo”, explica Pedroso.

 

Para o início da implantação, a JBS já possui oito unidades produtivas habilitadas para atender os pecuaristas interessados a se engajar ao protocolo 1953. São elas: Vilhena (RO), Marabá (PA), Juara (MT), Pontes e Lacerda (MT), Diamantino (MT), Barra do Garças (MT), Campo Grande (MS) e Iturama (MG).

 

Sobre a JBS
A JBS é uma das líderes globais da indústria de alimentos e conta com cerca de 235 mil colaboradores, em mais de 20 países. A Companhia possui um portfólio de marcas reconhecidas pela excelência e pela inovação, como Doriana, Friboi, Moy Park, Pilgrim’s Pride, Primo, Seara, Swift, Gold’n Plump, entre outras, que atendem 350 mil clientes de mais de 150 nacionalidades em todo o mundo. Com foco em inovação, essa diretriz se reflete também na gestão de negócios correlacionados, como couros, biodiesel, colágeno, higiene pessoal e limpeza, invólucros naturais, soluções em gestão de resíduos sólidos, embalagens metálicas e transportes. A JBS adota as melhores práticas de sustentabilidade em toda sua cadeia de valor, e monitora seus fornecedores de forma constante por meio do uso de imagens de satélite, mapas georreferenciados das fazendas e acompanhamento de dados oficiais de órgãos público, além de conduzir suas operações com foco na alta qualidade e na segurança dos alimentos. As melhores práticas de Bem-Estar Animal guardam estreita relação com o sucesso das operações da JBS, que trata o tema com extremo rigor e tem investido cada mais no aprimoramento de ações que sigam as melhores práticas de mercado.

 

JBS
Diretoria de Comunicação Corporativa
+55 11 3144-7997 | 5364 | 4996
imprensa@jbs.com.br