COMPRA DE ÓLEO DE COZINHA PARA FABRICAÇÃO DE BIODIESEL AJUDA MEIO AMBIENTE, ESCOLAS PÚBLICAS, HOSPITAIS E IGREJAS

 

O Giro do Boi desta sexta, 19, apresentou detalhes do Projeto Óleo Amigo, lançado em março de 2017 pela JBS Biodiesel para conscientizar a população sobre o descarte correto do óleo de cozinha resultado da fritura. O assunto é relevante porque cada litro de óleo pode contaminar até 25 mil litros de água, tornando-a imprópria para consumo. Desde o lançamento da iniciativa, o tema passou a ser tratado juntamente a estudantes do ensino fundamental e à sociedade como um todo para que, além da destinação apropriada, o óleo usado possa servir de matéria-prima para fabricação de biodiesel. Até então, cerca de 16 mil estudantes foram impactados pela iniciativa.

 

 

Com estimativas da ANP, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, 45 milhões de litros de biodiesel foram produzidos a partir do óleo de fritura recuperado em todo o país, sendo que a industrialização pela JBS Biodiesel representa pouco menos de 50% deste total. Ao todo, a companhia produziu em 2017 210 milhões de litros do biocombustível, sendo que 20 milhões de litros foram fabricados a partir da coleta do óleo de cozinha. No Brasil, atualmente, a legislação prevê um uso mínimo de 10% do biodiesel no diesel regular para reduzir gradativamente o impacto da emissão de poluentes pelo combustível fóssil.

 

Para avançar rumo à sustentabilidade, foram distribuídos no Projeto Óleo Amigo mais de 300 pontos de coleta em 42 municípios do estado de São Paulo, em locais como escolas (34 ao todo, a maioria do ensino público), hospitais e igreja. A matéria-prima é então comprada pela companhia com o valor sendo repassado aos estabelecimentos que servem de pontos para a coleta, que podem investir em reformas ou construções de suas estruturas. “A gente compra esse óleo e esse dinheiro da compra é revertido em benefícios aos estabelecimentos que servem de receptores desse óleo”, afirmou o diretor da JBS Biodiesel, Alexandre Pereira.

 

Fonte: Giro do Boi