fundo parallax

Comunicação

JBS doa mais de R$1,5 milhão para ONGs do Amazonas

Projetos sociais com atuação no Estado beneficiarão mais de 230 mil pessoas

, 06 de agosto de 2020 –  A , por meio do programa social , alimentando o mundo com solidariedade” está destinando mais de R$ 1,5 milhão em recursos para dez no . Entre as ações realizadas pelas instituições estão a distribuição de alimentos, cestas básicas, cartões alimentação e itens de higiene, doação de EPIs (equipamentos de proteção individual) hospitalares, e recursos de infra estrutura para apoiar as ações desenvolvidas por cada uma das organizações no estado.

As serão destinadas às seguintes instituições:

  • Aldeia Infantil SOS (org.br) – organização humanitária que atua na defesa, garantia e promoção dos direitos de crianças, adolescentes e jovens;
  • Transforma Brasil (transformabrasil.com.br) – movimento de voluntariado e engajamento cívico que tem atuado beneficiando famílias vulneráveis em todo País por meio da arrecadação e distribuição de mantimentos e kits de higiene pessoal;
  • Ação Social para a Igualdade das Diferenças (ASID) (org.br/br ) – trabalha em prol da inclusão social da pessoa com deficiência intelectual e física. O projeto empodera famílias e desenvolve habilidades para inclusão no mercado de trabalho;
  • Kanindé (org.br) – Ajuda em capacitação, proteção alimentar e mobilização de alimentos para povos indígenas;
  • Extensão Amazônia (com/ONG-Extens%C3%A3o-Amaz%C3%B4nia-414881948721350/) – Apoia e fortalece empreendimentos de inclusão sócioprodutiva em diversos setores, com especial atenção a microempreendedores, à agricultura familiar e aos povos tradicionais;
  • Instituto Elos (org) – Promove assistência social a famílias de baixa renda, em situação de pobreza e extrema pobreza;
  • FAS – Associação Agroextrativista Catuá Ipixuna (fas-amazonas.org/) – Assistência técnica rural e de empoderamento às comunidades da reserva e articulação e facilitação das lideranças comunitárias com tomadores de decisão e gestores públicos;
  • FAS – Consórcio dos Produtores Sateré Mawé (fas-amazonas.org/) – Projeto de Etno-desenvolvimento sustentável do Povo Indígena;
  • FAS – Associação dos Produtores Agroextrativistas da RDS do Rio Madeira (fas-amazonas.org/) – Assistência técnica rural e de empoderamento às comunidades da reserva, organização contibui com a articulação das lideranças comunitárias com tomadores de decisão e gestores públicos;
  • FAS – Associação dos Produtores AgroExtrativistas da Comunidade Nova Esperança na Reserva do Médio Juruá (fas-amazonas.org/) – Integra produtores da região e apoia pordutores de regiões ribeirinhas.

Além da distribuição de itens básicos, algumas instituições irão utilizar os recursos para atendimento de novas necessidades, como é o caso de quatro projetos apoiados pela Companhia por meio da Fundação Sustentável (FAS). Na Associação Agroextrativista Catuá Ipixuna, Consórcio dos Produtores Sateré Mawé, Associação dos Produtores Agroextrativistas da RDS do Rio Madeira e Associação dos Produtores AgroExtrativistas da Comunidade Nova Esperança na Reserva do Médio Juruá, além de cestas básicas e produtos de higiene e limpeza, serão instalados 16 postos de telemedicina para atendimento da população. O canal de comunicação irá ajudar os moradores destas regiões, localizadas distantes dos grandes centros e com dificuldades de infraestrutura, a terem o primeiro atendimento de saúde de forma ágil.

Todos os projetos foram escolhidos pelo Comitê Social do programa e que avaliou a capilaridade dos projetos e o impacto que o auxílio trará para as populações e comunidades mais necessitadas neste momento de pandemia. “A doação da é um apoio importante para aqueles que necessitam de ajuda imediata para lidar com as adversidades diárias, agravadas pela situação que estamos vivendo”, aponta Antonio Batista da Silva Junior, presidente-executivo da Fundação Dom Cabral (FDC), membro do Comitê social do projeto.

Além de Silva Júnior, o Comitê é formado por profissionais com grande experiência em gestão social, como Carla Duprat, diretora-executiva do Instituto InterCement; Carola Matarazzo, diretora-executiva do Movimento Bem Maior; Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas (Cufa), e Francisco Azevedo, diretor-executivo da Kairos Inteligência Social. O trabalho é coordenado por Joanita Karoleski, ex-presidente da Seara, coordenadora do projeto.

As no integram um esforço nacional da de combate à Covid-19. Ao todo, a empresa vai doar R$ 400 milhões para mais de 200 cidades, beneficiando 63 milhões de pessoas no país.

Para mais informações acesse www.jbs.com.br/fazerobemfazbem

 


Conteúdos relacionados: