Assistência Social

Assistência Social

 

Os projetos liderados por essas instituições atendem cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil e focam a assistência social para comunidades consideradas em situação vulnerável principalmente no que se refere à retomada econômica.

 
 

Centro das Mulheres do Cabo – Com atuação em Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, a organização social se dedica a questões de igualdade de gênero, de raça e afirmar os direitos humanos das mulheres. Atualmente, tem sua atuação focada em comunidades mais vulneráveis à pandemia. O projeto atende 300 famílias.

Fundação Antônio dos Santos Abranches (FASA) – Dedica-se ao desenvolvimento da educação, assistência social e cultural em Pernambuco. Apoia projetos de extensão nas áreas de sustentabilidade ambiental, social, saúde, educação e promoção dos direitos humanos. O projeto atende 900 famílias em situação de vulnerabilidade social.

Ação Social para a Igualdade das Diferenças (ASID) – Trabalha em prol da inclusão social da pessoa com deficiência intelectual e física no Paraná, com atuação em todo o território nacional, empoderando as mais de 3.300 famílias atendidas, e desenvolvendo as habilidades dessas pessoas para inclusão no mercado de trabalho.

Instituto Água Viva – Com sede no Espírito Santo, promove educação e sustentabilidade para a população do sertão profundo do Brasil. Atende 11 mil adultos e idosos, além de 4 mil crianças.

Aldeias Infantis SOS – A partir de São Paulo, atua no acolhimento e na institucionalização de jovens e crianças vulneráveis. O projeto atende 1.300 famílias.

Instituto Escola do Povo – Organização de promoção da educação e inclusão social na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo, que irá desenvolver uma rede de 100 mulheres para produção de marmitas em suas casas. Por dia, serão beneficiadas mais de 1.000 pessoas.

Kanindé – Entre as principais atividades desenvolvidas pelo projeto estão as ações de vigilância e fiscalização da Terra Indígena Uru-eu-wauwau e do Parque Nacional de Pacaás Novos, em Rondônia, e assessorias às organizações indígenas.

Casa das Mulheres da Maré – Trabalha para o enfrentamento da violência de gênero no conjunto de favelas da Maré, no Rio de Janeiro. Atende 1.500 pessoas diariamente.

Amigos do Bem – Com sede em São Paulo, a instituição atende 75 mil pessoas e trabalha no fomento e desenvolvimento de quatro pilares: saúde, educação, emprego e social, no sertão profundo do Brasil

Banco de Alimentos – Distribuição de alimentos para comunidades carentes em todo o Brasil. São 33 instituições atendidas, com 280 mil pessoas beneficiadas. Tem sede em São Paulo.

Projeto Saúde e Alegria (Ceaps –Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental) – Atua na Amazônia, com o objetivo de promover e apoiar processos participativos de desenvolvimento comunitário integrado e sustentável, que contribuam no aprimoramento de políticas públicas, na qualidade de vida e no exercício da cidadania. São 5 mil famílias atendidas.

Casa de Nazaré – Presta atendimento em Fortaleza (CE) a 57 idosas carentes no sistema de longa permanência.

Escola de Desenvolvimento de Integração Social e Adolescente – Trabalha em prol do desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade em Fortaleza, no Ceará. A ação emergencial em função da Covid-19 prevê atender 1.000 famílias.

Rede Cidadã - Com sede em Minas Gerais, atua na inclusão produtiva de jovens em todo o Brasil. Já incluiu 88 mil jovens e chegará a 100 mil até dezembro de 2020.

Agência Redes de Juventude - Trabalha no Rio de Janeiro pela promoção do empreendedorismo e fomento à retomada da economia. Atende 3.6 mil jovens.

Marianas – Desenvolve ações focadas em empreendedoras em Minas Gerais. Presta atendimento a 800 mulheres.

Extensão Amazônia – Apoia e fortalece empreendimentos de inclusão socioprodutiva nos diversos setores, com especial atenção a microempreendedores, agricultura familiar e a povos tradicionais. São 1.453 pessoas atendidas.