TRANSPORTE VIA CABOTAGEM DA SEARA CRESCE 84% EM DOIS ANOS E

SE CONSOLIDA COMO UM MODAL ESTRATÉGICO E MAIS SUSTENTÁVEL

 

Com localização privilegiada das unidades, Companhia reduziu a quantidade de carretas utilizadas em rotas de longo percurso,

principalmente para os destinos na região Nordeste, o que também contribuiu para redução de impacto ambiental

 

O primeiro semestre de 2019 foi de crescimento acentuado para o transporte via cabotagem na Seara. O número de embarques realizados pela Companhia no mercado doméstico foi 84% superior ao registrado nos primeiros seis meses de 2017, reforçando o aumento que já havia sido observado em 2018.

 

A empresa bateu o seu recorde mensal em abril de 2019 e repetiu o feito no mês seguinte, com 284 embarques realizados em cada período. O índice fortalece a estratégia da Seara de apostar no transporte marítimo costeiro como uma opção logística para o país e para a própria Companhia, que iniciou na modalidade em 2013 e vem evoluindo constantemente desde então.

 

A cabotagem também gera menor impacto ambiental em comparação com outros transportes. Em relação ao modal rodoviário, por exemplo, utiliza oito vezes menos combustível. A capacidade de volume de mercadoria por viagem também é muito maior, nessa mesma comparação. Segundo o GHG Protocol Brasil, um navio emite 15 vezes menos gases causadores do efeito estufa para conduzir um mesmo volume de carga do que um caminhão refrigerado.

 

“A produção relevante da Seara em Santa Catarina, com acesso facilitado aos portos da região, e a redução de custos alcançada com a menor utilização de carretas em rotas de longo percurso, principalmente para os destinos na região Nordeste, motivam a Seara a continuar investindo em cabotagem”, destaca Fábio Artifon, diretor de Logística da Seara Alimentos. “Na Seara, a decisão de incentivar o transporte via cabotagem não é apenas econômica. Esse modal reforça nossa preocupação com a qualidade e a sustentabilidade, dois dos pilares mais relevantes para a Companhia. Nossa expectativa é continuar crescendo e aumentando nossos embarques”, complementa o executivo.

 

A cabotagem tende a crescer na movimentação de cargas brasileira. Para o setor de proteína animal e alimentos, esse tipo de logística oferece maior eficiência no controle da temperatura dos produtos, já que o contêiner permanece conectado em fonte de energia elétrica e tem a temperatura monitorada durante todo o percurso.