COMPLIANCE DA JBS REALIZA TREINAMENTOS COM MAIS DE 99% DOS COLABORADORES NO BRASIL EM 2018

 

Canal de denúncias Linha Ética JBS completou um ano em dezembro e já foi estendido para outros países em onze idiomas;

a empresa também investiu R$ 1 milhão em um sistema de due diligence para terceiros

 

Com base nos pilares de transparência, solidez e alcance, a área de Compliance da JBS conquistou importantes avanços em 2018, com números representativos. No total, mais de 110 mil colaboradores no Brasil passaram por treinamentos sobre o Código de Conduta e Ética da JBS – o que representa 99% do quadro no país. Para 2019, o principal objetivo é estender estes treinamentos para as demais operações nos outros países.

 

“Lançamos o programa ‘Faça Sempre o Certo’ em 2017 e ele foi o ponto de partida para todas as ações realizadas pela Companhia nos últimos dois anos. Temos alcançado resultados sólidos a partir de um processo robusto de comunicação, novos controles internos, treinamentos e medidas que reforçam e valorizam a atitude ética no dia a dia. Para o próximo ano, planejamos evoluir no programa, o que inclui uma nova rodada de treinamentos sobre temas específicos do Código de forma mais detalhada, de acordo com cargos e áreas de risco”, explica o diretor global de Compliance da JBS, Marcelo Proença.

 

Outro resultado importante para a Companhia em 2018 é a marca de um ano de lançamento do canal de denúncias Linha Ética JBS, completado em 4 de dezembro de 2018. O serviço, totalmente terceirizado, protege e garante o anonimato e atende tanto colaboradores quanto público externo da JBS no Brasil e em outros países onde a Companhia opera – www.linhaeticajbs.com.br. O canal funciona 24 horas por dia e sete dias por semana e já está disponível em 11 idiomas, considerando as operações recentemente adicionadas nos Estados Unidos, Austrália, Uruguai e Argentina.

 

“A partir das informações recebidas na Linha Ética JBS, a Companhia mapeia as situações mais recorrentes, traça diagnósticos de acordo com a realidade de cada unidade de negócio, além de desenvolver um plano de ação para evitar a reincidência de casos”, complementa Proença.

 

Em um ano de funcionamento do serviço, o canal recebeu 1.860 relatos; destes, 1.636 (88%) foram analisados, encaminhados e encerrados. Entre estes, 75% não procederam, ficaram fora do escopo, foram considerados com dados insuficientes ou não conclusivos. O restante foi encaminhado para apuração e devidas medidas, incluindo ajustes e/ou ações disciplinares – no final, foram aplicadas 59 medidas disciplinares (3,5% do total de relatos).

 

Também foi investido um total de R$ 1 milhão em um sistema de due diligence para todo o cadastro global de fornecedores, que estará operando até o fim deste primeiro trimestre, de forma automatizada e integrada aos sistemas da Companhia. Ao cadastrar um novo terceiro, caso seja de uma categoria de risco, a due diligence é realizada automaticamente por um software e, caso sejam identificados pontos de atenção, a ativação do cadastro é bloqueada até que a área de Compliance faça uma análise mais profunda. Não há no Brasil sistema de avaliação tão grande e abrangente.