Produtos Confiáveis e de Qualidade

Para garantir produtos confiáveis e de qualidade aos seus clientes e consumidores, a JBS desenvolve um extenso trabalho focado em segurança dos alimentos e adota critérios sociais e ambientais na compra de sua matéria-prima.

Compra Responsável de Matéria-Prima

Todos os produtos de origem bovina adquiridos pela JBS são procedentes de fazendas que:

  • Não estão localizadas em áreas de desmatamento, terras indígenas ou áreas de conservação ambiental;
  • Não utilizam mão de obra análoga à escrava;
  • Não possuem embargos ambientais.

Esses critérios seguem o Compromisso Público da Pecuária, acordo liderado pela ONG Greenpeace. Para atestar a conformidade com tais critérios, as operações da JBS passam por auditoria independente todos os anos. A companhia também desenvolve, em parceria com o Greenpeace, planos anuais de trabalho para buscar melhorias a seus processos socioambientais.

  • Sistema de Monitoramento Socioambiental de Fornecedores de Bovinos

É uma das ferramentas que a JBS utiliza para atender o Compromisso Público da Pecuária. Por meio dela, são verificadas as condições de cada fornecedor, o que permite identificar e bloquear fazendas que não estejam em conformidade com os critérios socioambientais da empresa. Por meio do uso de imagens de satélite, mapas georreferenciados das fazendas e acompanhamento de dados oficiais de órgãos públicos, a JBS analisa, todos os dias, cerca de 40 mil fornecedores de gado localizados na região da Amazônia Legal.

Relacionamento com Fornecedores

O foco na qualidade faz com que as relações da JBS com seus fornecedores de matéria-prima sejam pautadas pela parceria. Consciente de seu papel no setor, dada a capilaridade de suas operações, a JBS adota diversas ações com o intuito de ser um vetor de transformação nas cadeias produtivas em que atua. Nesse sentido, apoia e orienta seus fornecedores sobre o aprimoramento de práticas e processos, contribuindo para que atuem de forma sustentável.

  • Programa Novo Campo

A JBS é parceira dessa iniciativa, que é voltada a disseminar boas práticas de produção pecuária em fazendas localizadas na Amazônia Legal.  Idealizado e coordenado pelo Instituto Centro de Vida (ICV), o Programa Novo Campo oferece, aos pecuaristas participantes, orientações sobre questões socioambientais e produtivas, como conservação de solo e água, cumprimento da legislação ambiental e trabalhista brasileira, boas práticas de manejo e bem-estar animal, técnicas para aumento da produtividade e qualidade de carcaça, entre outras.

  • Programa Fornecedor Legal

Criado pela JBS para ajudar a cadeia de fornecimento de carne bovina a se adequar à legislação ambiental brasileira. O Programa surgiu em 2013 para apoiar os fornecedores no mapeamento de suas fazendas, evoluindo posteriormente para uma rede de consultorias especializadas na adequação das fazendas ao Novo Código Florestal.

  • Pacto Sinal Verde

Voltado aos produtores do Estado de Mato Grosso do Sul, um dos principais centros de pecuária do país, a iniciativa dissemina a importância de aprimorar práticas produtivas com o objetivo de oferecer produtos de melhor qualidade ao mercado.

Além da JBS, participam da iniciativa o governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grossi do Sul (Famasul) e Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Novilho Precoce e Embrapa Gado de Corte.

  • Programa Conexão JBS

 

Plataforma de comunicação direta entre a JBS e seus fornecedores de gado, criada para aproximar o produtor aos demais elos da cadeia de valor. Oferece a eles informações sobre industrialização da carne e comercialização do produto.

  • Produtores Integrados de aves e suínos

Com os produtores integrados, a relação também é de parceria, na qual a JBS oferece a eles todos os insumos necessários para uma produção segura e saudável de aves e suínos, além de orientação sobre manejo de produção e práticas ambientais.

Bem-estar Animal

A preocupação constante em assegurar o bem-estar dos animais permeia o dia-a-dia da JBS. O objetivo é garantir que os animais – bovinos, aves ou suínos – tenham suas liberdades fundamentais respeitadas: livres de fome e sede; de desconforto; de dor, injúria e doença; de medo e estresse, além de liberdade para expressar seu comportamento natural.

Os processos de trabalho utilizados tanto nas unidades próprias, como nas dos fornecedores, estão em constante aprimoramento.  São adotados rígidos padrões de transporte e manejo, o que inclui:

  • frota de veículos apropriada para o transporte de bovinos;
  • câmeras de monitoramento para avaliação dos indicadores de Bem-Estar Animal em todas as unidades de bovinos, estrutura que permite que especialistas acompanhem o processo, desde o desembarque até o abate dos animais;
  • equipe de motoristas – próprios e terceiros – com treinamento específico sobre o tema;
  • treinamentos e capacitação dos colaboradores em boas práticas de manejo no transporte e nos currais dos frigoríficos;
  • apoio técnico para construção e melhoria de instalações para aves e suínos, segurança, nutrição e práticas de saúde animal, além de visitas constantes de técnicos da companhia que realizam um check list periódico, que inclui o acompanhamento da aplicação de vacinas, pesagem dos animais, monitoramento da taxa de mortalidade, variação de temperatura do ambiente, nível de conforto animal, entre outros.

A JBS investe em constantes treinamentos e capacitação dos colaboradores em boas práticas de manejo no transporte e nos currais dos frigoríficos. Também mantém parceria técnica com as maiores referências globais no assunto, como Dra. Temple Grandin e o Prof. Dr. Mateus Paranhos, da Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Em 2016 e 2017, a companhia foi considerada uma das melhores empresas do mundo em práticas de bem-estar animal, segundo apontamento do The Business Benchmark on Farm Animal Welfare (BBFAW), relatório anual de alcance global sobre o tema, desenvolvido por duas ONGs internacionais: a World Animal Protection (WAP) e a Compassion in World Farming (CIWF).

O relatório completo, em inglês, pode ser acessado clicando aqui.

Relacionado